Para pessoas com almas forte e corações meigos, que buscam ver o lado positivo de tudo, que não se contentam com pouco e acreditam no crescimento interior e exterior. Que se pode ser tão sábio e consciente como qualquer Buda, ou Cristo, ou Mahavira. E tão rico quanto qualquer Bill Gates.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O poder da cura do amor

... O primeiro passo é aceitar você mesmo como é; jogue fora todos os "deverias". Não carregue nenhum "eu tenho que" no coração! Você não precisa ser mais ninguém; você não tem obrigação nenhuma de fazer nada que não pertença a você - você só precisa ser você mesmo. Relaxe e seja apenas você mesmo. Tenha respeito pela sua individualidade e tenha coragem de assinar a sua própria assinatura. Não continue a copiar assinaturas.
Ninguém espera que você se torne alguém como Jesus ou Buda ou como Ramakrishna - espera-se apenas que você se torne você mesmo. É muito bom que Ramakrishna nunca tenha tentado ser outra pessoa, pois ele se tornou Ramakrishna! É bom que Jesus nunca tenha tentado ser como Abraão ou Moisés, pois ele se tornou Jesus! É bom que Buda nunca tenha tentado se tornar um Patanjali ou Krishna - foi por isso que ele se tornou Buda!
Quando você não está tentando se tornar outra pessoa, você simplismente relaxa - estão surge a graça. Você se enche de grandeza, de esplendor, de harmonia, porque deixa de haver conflito, um lugar para ir, algo pelo que brigar; nada para ser forçado sobre você violentamente. Você se torna inocente. Nessa inocência você sentirá compaixão e amor por si mesmo. Ficará tão feliz consigo mesmo que, mesmo se Deus chegar, bater na sua porta e disser, "Você gostaria de se tornar outra pessoa?", você dirá, "Está ficando louco?! Eu sou perfeito! Muito obrigado, mas nunca tente fazer nada parecido com isso - eu sou perfeito como eu sou".
No momento em que você disser para a existência, "Eu sou perfeito como sou, eu sou feliz como sou", isso é o que no Oriente nós chamamos de Shraddha, confiança. Aí você se aceita e, aceitando a si mesmo, você aceita a existência.

Texto retirado do livro COMPAIXÃO, OSHO.

2 comentários:

  1. Obrigado parceiro, valeu. É disso que nós precisamos...

    E se sinta a vontade para postar quantas vezes quiser.
    rsrsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  2. carolina fernandes13 de outubro de 2009 22:08

    "Quando não estamos tentando ser outra pessoa, então se relaza e vem a graça..."
    Quero agradecer por essa verdade.
    Libertadora.
    Muito Grata!!

    ResponderExcluir

Gostou? Este é seu espaço, diga o que quiser...

Widget by SemNome